17.4.10

prometi-te


Por incrível que pareça, desta vez estou perfeitamente bem e chego mesmo a pensar que de uma maneira ou de outra parte do que eras para mim já se foi Desta vez, só para teres uma pequena noção, já nem chorei e não pensei sequer no quanto seria bom se tudo tomasse outro rumo ( a nosso favor) e já não lamentei nem tentei remediar Desta vez, o que restava do meu sentimento por ti, sim e digo 'restava' porque já não era tão forte o que sentia e já não tinha comparação a tempos passados, virou ódio e raiva Sim, começo mesmo a questionar-me se não seria só mesmo vicio ou até pena de largar tanto tempo e tantas mágoas postas de parte Presta atenção a cada pormenor meu agora, porque antes estava tudo a teu favor, agora não Agora vais ter que fazer um esforço para aguentares forte e firme depois de tudo o que os próximos tempos te trarão Acabou-se naquele dia os jogos de emoções e os incentivos que levavam a mudanças e a segundas oportunidades acabaram ACABARAM definitivamente e fica aqui a promesa E como sou bastante querida e tua amiga vou-te expôr aqui publicamente uns avisos... Meu amor, não esperes por retornos ou por cedências que aconteciam com meras palavras Não imagines um novo voltar a teu favor nem uma nova oportunidade Não esperes uma palavra sincera ou uma conversa amigável, uma unica resposta calma Não aguardes compulsóriamente um telefonema ou uma qualquer mensagem porque nenhum te chegará Nem agora nem nunca Foi um ponto final que inseri já tarde nesta nossa carta, mas desta vez é diferente Para além de ser definitivo, é também o último e não existe qualquer possibilidade de desencandear um novo parágrafo Nos excedemo-los e eu rasguei à pouco as últimas linhas por prencher, que restavam da nossa carta Na verdade, sempre as imaginei simples e curtas, mas eternas e mais significativas Mas não, preferiste-as assim, inexistintes E não posso dizer que estou mal com isto tudo, e talvez esteja... mas não vou voltar atrás O nosso tempo acabou finalmente e tu foste com ele Obrigada por tudo (L) e é como quem dis: sofri mas lá chegou o dia em que aprendi, só lamento não o ter feito mais cedo E a grande lição foi recebida, cheguei primeiro do que tu ao lugar que nos estava reservado e agora vou esperar de fora, ver-te voltar lentamente, e ver-te partir de cabeça baixa, pesada de vergonha e ressentimento Vou ter o prazer de fugir com a ajuda que sempre te disponiblizei e que sempre amputaste, nesse dia eu não te vou dar a mão O último abraço não foi nem vai ser dado porque agora vais ser um capitulo encerrado e desmarcado
Mais tarde falamos, muito mais tarde, porque agora vou fazer-te ressentir-te Esquece as promessas, as provas e os momentos porque eu vou fazer a todo o custo fazer o mesmo.

aqui está o prometido, agora
nunca mais voltes.

2 comentários:

  1. Estou muito confuso Cátia Daniela! :o
    Vá, porta-te bem masé (; beijo.

    ResponderExcluir
  2. Nao? Podias tentar explicar-me entao! :b

    ResponderExcluir

considerações: